fbpx

Quem é Oscar Macedo de Abreu do Nascimento Campos

Oscar é o filho mais velho de uma família de retirantes nordestinos da região de Canudos, Uauá e Euclides da Cunha na Bahia, que fugindo da seca e buscando melhores condições de vida, se estabeleceu na cidade de Santos, Litoral de São Paulo.

Os pais de Oscar, João e Edite, tiveram mais 3 filhos, Marcos, Marcio e Marcelo.

Veja aqui as fotos da família de Oscar em Canudos e Uauá, Bahia.

Oscar, desde cedo teve que trabalhar e estudar, sendo que sua 1ª Carteira de Trabalho foi registrada aos 13 anos de idade. Trabalhou como Copa de Bar, Office-boy, Auxiliar de Escritório, Escriturário de Banco, Agente de Coleta do IBGE, até se formar como Engenheiro Industrial Mecânico pela Escola de Engenharia da Universidade Mackenzie em 1980, em São Paulo.

Veja aqui as 4 Carteiras profissionais de Oscar, incluindo a 1ª, registrada em 17/12/1971, quando ele tinha 13 nos de idade (Oscar nasceu em maio de 1958).

Oscar estudou graças ao financiamento estudantil da “Nossa Caixa Nosso Banco”- Caixa Econômica do Estado de São Paulo, programa criado pelo ex-Governador de São Paulo, Paulo Egydio Martins em 1976.

Oscar também especializou-se em Administração concluindo o CEAG, Curso de Especialização em Administração pela FGV – Fundação Getúlio Vargas de São Paulo em 1988.

Formou em MBA em Comércio Exterior pela FGV – Fundação Getúlio Vargas de Brasília em 2004.

Oscar é Servidor Público Federal concursado como Analista de Comércio Exterior, desde 1999, lotado no Ministério da Indústria, Comércio e Serviços.

A vida de Oscar nunca foi fácil, pois aos 17 anos de idade, na cidade de Santos aonde morava,  teve que se submeter a uma operação cardíaca para corrigir um problema de nascença, operação que naquela época era bastante melindrosa.

Naquela época, maio de 1975, operar o coração era considerado uma operação de risco e muitos diziam que os que saiam dessa operação viviam no máximo 5 anos. Mas Oscar já está vivo há 42 anos.

Provavelmente na recuperação da operação Oscar, ele foi contaminado pelo vírus HCV, o virus da Hepatite C, pois a operação naquela época era bastante invasiva e para acessar o coração o seu peito foi aberto tanto que recebeu 30 pontos. Ele recebeu reposição de sangue que provavelmente estava contaminado com um vírus que não era conhecido ainda, o HCV.

O vírus da Hepatite C, que só é transmitido por sangue,  só foi descoberto em 1988 e só recebeu um CID – Código Internacional de Doença (aquele código que o médico coloca na receita de remédios) em 1993. Lembramos que em 1975, e até a Constituição de 1988, o sangue no Brasil era comercializado e Oscar morava em Santos, uma cidade portuária, sempre visitada por marinheiros de toda parte do mundo.

Muitas pessoas no Brasil e no mundo estão contaminadas pelo vírus HCV e não sabem sendo que aqui no Brasil muitos foram contaminados pelo próprio governo com aquela pistola de injeção no braço.

Oscar descobriu a hepatite C quando foi fazer uma operação de correção de desvio de septo nasal e, no entanto, apesar dos problemas, Oscar não foi “encher o saco de ninguém” no Condomínio e nem usou suas doenças como desculpa para cometer atos criminosos, antiéticos e imorais como outros fizeram e foram apoiados por uma pessoa que se diz jornalista.